05/04/2007

PESSOAS ESPECIAIS NA MINHA VIDA


Amigos Para Não Esquecer – 1968/70

Esta foi uma fase da minha vida que eu não vou esquecer, por estranho que pareça, é nestes momentos que por vezes nós encontramos algo que só acontece uma vez na vida.
Em pleno serviço militar, quando acabei a especialidade fui colocado na E. P. A. em Vendas Novas, lugar e momento em que fui descobrindo a mais sincera amizade. Havia apenas 4 pessoas recém chegadas, era de todo necessário começar a fazer novos conhecimentos, a começar pelos vizinhos de camarata.
Foi assim que começou a minha história.
O meu vizinho mais próximo era o Joaquim Gomes, soldado como eu, vindo dos lados de Viseu. Feitas as primeiras apresentações, principia uma camaradagem sem limites.
Durante dois anos vivemos o que eu chamo amizade entre dois jovens, tudo era partilhado.
O Joaquim tinha a sorte de ter uma das irmãs a viver perto do quartel, enquanto eu tinha de esperar no mínimo três meses para visitar os meus familiares. Incomodava o meu amigo sair ao fim de semana e ver-me a ficar no quartel. A partir daí, começou a fazer todas as tentativas para me levar com ele para a casa da irmã, que não me conhecia de lado algum. Não foi fácil para mim aceitar o convite. Um dia lá fui, o meu amigo era incansável para que eu me sentisse bem no seio daquela simpática família.
À medida que o tempo passava aumentava a nossa cumplicidade até ao dia em que o serviço militar chegou ao fim. Três anos passados, já era tempo! Com a alegria própria dos últimos momentos, vivemos aquelas horas com muita azáfama por nos sentirmos livres de novo. Foram estes os últimos momentos que estive com o Joaquim. Ele foi mais despachado do que eu, cruzou-se comigo na parada e demos um abraço prometendo que nos contactaríamos em breve. Nunca mais vi, nem ouvi o meu amigo, a verdade é que ele iria residir para Setúbal e logo que estivesse instalado me enviaria o seu endereço. Ainda não perdi as esperanças de nos encontrarmos o que seria para mim, concerteza, uma grande alegria.
Esta foi sem dúvida a maior amizade da minha vida.

José Domingos
.
UNFORGETTABLE FRIENDS
.
Strange as it may seem, I’ll never forget this period of my life because moments like this one only happen once in a lifetime.
While I was doing my military service and after qualifying in my speciality, I was sent to Vendas Novas` barracks. There I developed the most genuine friendship ever. We were just four soldiers, newly arrived and I felt I needed to meet new people, so I began getting to know them.
That’s how things got started. My true mate was Joaquim Gomes, another soldier from the suburbs of Viseu.
We became good friends to the point of sharing everything we had.
Fortunately (for him), Joaquim had a sister living near our barracks. On the other hand, I could only see my own family every three months. At the weekend my friend would be worried and sad for leaving me all alone at the barracks. Little by little he tried to convince me to stay at his sister´s at the weekend, but being a complete stranger to her, I felt a little uneasy and found it hard to accept his invitation. Eventually though I did. Joaquim tried his best to make me feel comfortable amongst his friendly and welcoming family.
As time went by, our bond became stronger and stronger till the day we left. All in all we spent three years of our lives together. We felt great going back home! The Just before leaving we were very excited and anxious because we were about to be free again. I have never seen Joaquim again. He managed to pack his things before me, so we only met later at the parade ground. We gave each other a hug and promised to see each other again. We haven’t been in touch since. He told me that he would move to Setúbal and as soon as he had settled down, he would send me his new address. I haven’t given up the hope of seeing him again. That was the nicest friendship I have ever had.

José Domingos

4 comentários:

mariajose disse...

Olá colega Zemingos, faça o fovor de fazer o possivel e o impossivel para encontra esse amigo essa mizade já mais pode acabar a ausensia não quebra a amizade mas afroxa, faça tudo para se encontrar com ele. Força
um abraço

Manuel Soares disse...

Espero que um dia encontre o seu amigo Joaquim,e continuem com a vossa dedicada amizade.
No serviço Militar fezem-se grandes amizades. Gostei da sua história parabéns

Osvaldo disse...

Olá amigo!São sempre inesqueciveis os bons amigos de tropa,eu encontrei algus através da lista telefónica,E outros me encontraram a mim da mesma forma.É tentar através do nome.Um abraço.O.P.C.

Anónimo disse...

Amigo Zemingos os bons amigos nunca se esquecem, quando são de facto amigos sinceros.Gostei muito da sua história,estou confiante que um dia vai encontrar esse seu amigo.Parabens,um abraço.

Manuel Gonçalves